Campanha de vacinação contra febre amarela começa em Salvador

Publicado em 21 de fevereiro de 2018.

Atenção estudantes, professores e funcionários! A Secretaria Municipal da Saúde deu início nessa semana a campanha de vacinação contra febre amarela com uso de doses fracionadas e padrão. A ação visa ampliar a cobertura vacinal na capital e em mais outros oito municípios baianos. A dose fracionada é uma parte da dose padrão da vacina contra a febre amarela, e tem proteção igual por um período de até oito anos. A eficácia é a mesma e funciona como medida emergencial para o controle de possíveis surtos.

Pouco mais de 1,2 milhão de indivíduos ainda precisam se proteger contra a doença em Salvador. A vacina fracionada está sendo administrada em pessoas com idades entre 2 e 59 anos que nunca foram imunizadas contra a doença. Crianças entre 9 meses e 2 anos, pessoas com condições clínicas específicas (como pacientes com HIV/Aids) e viajantes internacionais (é preciso apresentar o comprovante do deslocamento) continuarão a tomar a dose padrão da vacina, que vale pra vida toda.

Em Salvador, a campanha seguirá até 9 de março, sendo que o chamado “Dia D” será neste sábado, 24 de fevereiro. A vacina está disponível de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, nas 126 unidades básicas da rede municipal de saúde. É recomendável levar o Cartão do SUS, um documento de identificação com foto e Cartão de Vacina. Mas, quem estiver sem esses cartões também poderá se vacinar.

Orientações

O Ministério da Saúde afirma que a vacina é contraindicada para crianças menores de seis meses, idosos acima dos 60 anos, gestantes, mulheres que amamentam crianças de até seis meses, pacientes em tratamento de câncer e pessoas imunodeprimidas. Para estes grupos, a orientação é que a pessoa busque ajuda médica, cujo profissional de saúde avaliará o benefício e o risco da vacinação.

“Por conta de casos positivos confirmados de febre amarela em macacos no ano passado e o grande número de pessoas a se vacinar no município, Salvador foi incorporada na estratégia da imunização fracionada pelo Ministério da Saúde. A dose fracionada tem eficácia garantida por pelo menos oito anos, por isso, após esse período, é necessária uma nova dose de reforço”, explica Doiane Lemos, subcoordenadora de Doenças Imunopreviníveis de Salvador.

 

Últimas Notícias