FSBA promove Semana de Responsabilidade Social

Publicado em 2 de outubro de 2018.

“Trabalhar por um futuro melhor para a nossa sociedade é responsabilidade de todos”. Essa não é uma meta só da “Campanha da Responsabilidade Social do Ensino Superior Particular 2018”. A Faculdade Social da Bahia (FSBA), como o próprio nome já diz, tem em seu desígnio não só a qualidade acadêmica, como também essa busca constante em formar cidadãos mais responsáveis socialmente.

Por isso, participamos pelo sexto ano seguido do evento e conquistamos, mais uma vez, o “Selo de Instituição Socialmente Responsável”. A FSBA se orgulha desse feito, porque se preocupa com o indivíduo e o papel que ele exerce dentro da sociedade. A “Semana de Responsabilidade Social” ocorreu entre os dias 18 e 22 de setembro, e contou com uma vasta programação aqui na Faculdade.

No primeiro dia do evento (terça-feira), mais de vinte jovens-aprendizes do CIEE (Centro de Integração Empresa-Escola), estiveram na FSBA para participar da “Oficina de Escrita Criativa”, que foi ministrada pelas profissionais da Faculdade, Sazana Martins e Sarah Oliveira. Para elas, é muito importante que a instituição promova esse tipo de atividade gratuita, para dar oportunidade a jovens terem experiências acadêmicas durante esse processo de capacitação.

A coordenadora e orientadora do grupo, Cristiane Vieira, do CIEE, disse estar muito feliz com a parceria realizada nesse projeto com a FSBA, pois ajuda no processo de aprendizagem do programa: “Esses jovens fecham contratos especiais de trabalho com empresas diferentes por um período de 1 ano e 4 meses, como previsto por lei, e a maioria vem de escolas públicas. Participarem de atividades extracurriculares, como essa que a FSBA nos proporcionou hoje, é muito importante para a qualificação da formação teórica do programa de aprendizagem.”, ressaltou Cristiane.

O jovem Adauto Guedes, que trabalha em um projeto social no coral da Neojibá, e que tem uma banda de Rap, disse: “essa oficina me deu mais força para escrever minhas músicas, ajudou a acreditar mais em mim e agora vou me expressar melhor”. A jovem-aprendiz Larissa Andrade também saiu da oficina mais inspirada: “Eu sempre gostei muito de escrever, mas isso estava preso dentro de mim, e essa vivência que eu tive aqui com as instrutoras me fez repensar o quão é importante a escrita, e inclusive eu aposto que hoje à noite quando eu chegar em casa eu vou escrever, porque me senti inspirada”.

No dia seguinte, quarta-feira (19), o profissional de educação física, Eric Pincel, junto com a professora mestra Mônica Coutinho, promoveram uma oficina aberta e gratuita para a comunidade, com o tema “Acessibilidade às Práticas Físicas através do Treinamento Funcional”. Eric, que se formou aqui na FSBA, ressaltou a importância social promovida pelo evento: “A educação física tem muito esse apelo voltado só para o estético, mas a faculdade vem promovendo com a sua grade curricular e com a sua forma de ensino fazer com que os alunos entendam além disso. Esse evento é para apresentar a parte funcional como uma ferramenta que dará um retorno sustentável a sociedade, de bem-estar físico e mental, e também do cuidado com o espaço físico que está sendo trabalhado, pois a gente explora muito e devolve pouco para a sociedade.”. Participando desse projeto social há cerca de um mês, o boxeador olímpico Ronaldo Bezerra disse que participar dessas oficinas o ajudou profissionalmente, pois agora ele sabe como realizar um exercício corretamente e o benefício que eu ele ganha com cada movimento e cada atividade para o melhoramento do seu desempenho como atleta: “esse projeto é muito importante, porque você pega uma pessoa que não tem condição e inclui ela em atividades gratuitas para melhorar o bem-estar de vida”, completou Ronaldo.

No penúltimo dia da “Semana de Responsabilidade Social”, 20 de setembro, a FSBA promoveu uma das oficinas mais concorridas: “Suicídio sob a perspectiva da saúde”. O evento, que ocorreu na sala de videoconferência, foi ministrado pela coordenadora do curso de Enfermagem, Shirley Coelho. Ela ressaltou a importância de a Faculdade discutir esse tema, pois é um fato que ocorre em todos os contextos da sociedade: “Um espaço como uma instituição de ensino deve sempre favorecer essas discussões, porque apesar de existir uma questão equivocada sobre não se falar de suicídio, este é um tema de projeção, onde as estatísticas só aumentam. Não temos que ensinar só aos profissionais que vão trabalhar na área, todos devem saber lidar com essa situação, pois ela pode ocorrer na escola, em casa, no trabalho, em todos os contextos sociais. Se existe sofrimento e envolve o ser humano, isso é um percussor para o suicídio. As pessoas têm que perceber as mudanças de comportamento, o isolamento, abrir pra falar o que está causando dor. Hoje, o suicídio é a segunda maior causa de mortes de jovens de 15 a 29 anos. Mais de 800 mil pessoas tiram a própria vida por ano no Brasil. Estamos em uma sociedade doente e precisamos enxergar mais o outro. Muitos que estavam aqui eram pais, filhos, companheiros, já passaram ou viveram uma situação dessa, e discutir esse tema vai trazer uma melhor pré-condição social.”, alertou a professora.

Para encerrar a “Semana de Responsabilidade Social”, a FSBA promoveu no dia 22 de setembro, uma simulação de audiência pública. O tema escolhido também foi polêmico e que deve ser cada vez mais discutido: “Legalização do Aborto”. O evento, que ocorreu na Sala Maria Alice Teixeira, trouxe um debate democrático a respeito da proposta de descriminalização do aborto pautada pela ADPF 442 22/09, realizando um plebiscito sobre a legalização deste tipo de procedimento.

Últimas Notícias